“Investi só R$ 500 e hoje lucro R$ 20 mil por mês”

Ana Paula Barcena fugiu do destino de faxineira e abriu uma empresa de limpeza de sofás. O mercado cresceu e ela também!

Minha avó dizia, quando eu ainda era pequena, que existem dois tipos de pessoas no mundo: as que vieram para mandar e as que vieram para obedecer. Mesmo nova, eu sabia muito bem qual deles queria ser. Minha mãe é faxineira e, como nunca tive dinheiro para bancar uma faculdade, sabia que minha escolha mais óbvia era seguir os passos dela. Só que o sonho de ser patroa falou mais alto. Aproveitei uma oportunidade e acabei no setor de limpeza, como mamãe, só que numa situação completamente diferente: a chefia. Tenho uma empresa que limpa sofás há 6 anos e hoje lucro R$ 20 mil por mês! Mas, para chegar até aqui, passei muito tempo agachada tirando a sujeira de onde os clientes colocam o traseiro. Foi muita dedicação.

Sou filha de faxineira e meu destino é chefiar
Eu via o quanto minha mãe ralava e sabia que não queria aquilo pra mim. Também não queria aquilo pra ela. Por isso, em 1997, com apenas 20 anos, assumi as despesas da casa e pedi para que ela não trabalhasse mais. Meu irmão ajudava, mas nosso orçamento era apertado demais porque eu ganhava apenas R$ 1 mil no setor comercial de uma empresa que prestava serviços de limpeza. Fiquei 11 anos nesse emprego e meu salário até aumentou, mas não ao ponto de nos proporcionar conforto. Tinha 31 anos quando a oportunidade surgiu e não pensei duas vezes.
Nunca tinha juntado um centavo na vida quando recebi um abono salarial de R$ 500, em outubro de 2009. Pra mim, aquilo era muito dinheiro. Ao mesmo tempo, eu sabia que minha empresa cobrava R$ 250 por cada sofá lavado e que, perto disso, meu salário não era nada. Arrisquei. Investi os R$ 500 em produtos de limpeza específicos para sofá, piso, carpete e cortina, que conhecia por conta da minha experiência na área, comprei uma extensão elétrica, imprimi cartões de visita básicos e paguei um pequeno anúncio numa revista. O maior gasto, que me deixou bem ansiosa, foi uma lavadora profissional de R$ 1.500, sem a qual não dá pra fazer o serviço. Fechei o olho e parcelei no cartão de crédito em três vezes.
Agi no impulso porque sabia que cobriria meu investimento com poucas lavagens, mas não me demiti porque não sabia se conseguiria clientes. Felizmente, meu anúncio e os panfletos que distribuí valeram a pena. Os clientes começaram a me ligar logo na primeira semana! Tive que ser muito ligeira, porque eles telefonavam em casa e eu fazia minha mãe atender todas as chamadas como “Natureza e Limpeza, bom dia!”. Os parentes não entendiam nada, mas os clientes achavam que estavam ligando no meu escritório. Mamãe agendava as visitas para o final de semana e me avisava em seguida. Para não dar bandeira, corria para o banheiro e anotava os horários e endereços no papel toalha!
Faturei R$ 2 mil já no primeiro fim de semana O retorno foi melhor do que eu esperava. Só no primeiro fim de semana, agendei cinco limpezas e faturei R$ 2 mil! Eu mesma fiz o serviço com ajuda do meu irmão, que levei para passar mais credibilidade. Também fiz camisetas com o logo da minha empresa para que a gente parecesse mais profissional. Quando o cliente morava em prédio, distribuía cartões em todos os apartamentos antes de ir embora.
Nessa época, pegamos um serviço grande numa mansão chique de São Paulo e ganhamos R$ 3 mil em um único dia de trabalho! Saí de lá e fui direto para uma concessionária, onde usei esse dinheiro para dar entrada em um Uno de R$ 11 mil. A gente precisava de um veículo para carregar os equipamentos de um lado para o outro. Quatro meses depois, quando vi que estávamos lucrando mais do que eu ganhava na empresa, percebi que era hora de sair de lá.
Me dediquei completamente à empresa e agendei 20 visitas no primeiro mês. Precisei marcar limpezas durante a semana e mandei meu irmão para o batente. Quando atolava de serviço, chamava pessoas que já tinham trabalhado comigo e pagava uma diária de R$ 100. Parece pouco, mas um limpador ganha uns R$ 800 por mês. Aos poucos, fui ficando conhecida e os serviços passaram a ser maiores. Peguei um tão grande no primeiro ano que minha mãe precisou fazer marmita pra todo mundo.
Sempre fiz questão de participar do serviço, porque meu sonho estava investido nele e os resultados eram animadores. Antes que o primeiro ano da empresa terminasse, comprei um carro de R$ 18 mil à vista. Que beleza! Em 2012, convidei uma amiga com vocação para chefia para fazer sociedade comigo. Juntas, o negócio disparou. Ano passado, 4 anos depois de montar a empresa, consegui financiar uma casa de R$ 380 mil para minha mãe. Tem dois quartos, uma suíte e garagem com espaço para quatro carros! Além disso, alugo uma sala num bairro fino de São Paulo, onde faço as vendas.
Não paramos de crescer. Já viramos até franquia!
O negócio deu tão certo que resolvemos transformá-lo em franquia. Para isso, contratei uma empresa que cobra R$ 20 mil para formatar um modelo de loja para vender aos franqueados. O investimento inicial de cada um é de R$ 30 mil. É alto, mas damos todo o treinamento para ensinar aquilo que levei 11 anos para aprender. Também fornecemos os materiais necessários para começar. Com tudo isso, eu e minha sócia faturamos R$ 60 mil por mês e R$ 20 mil deles ficam todos para mim! Minha maior satisfação é proporcionar conforto para minha mãe, vê-la com roupas novas ou comendo coisas boas. Ela ralou muito para me criar e quero dar a ela tudo o que puder. – ANA PAULA BARCENA, 38 anos, vendedora, São Paulo, SP
Setor de limpeza está crescendo. Aproveite!
O setor é novo e está em crescimento. Por isso, bom atendimento é essencial. “Quem presta esse tipo de serviço precisa saber que o consumidor experimenta o atendimento e, se gostar, fi cará fi el. Caso contrário, não voltará nunca mais”, explica Julio Tadeu Alencar, consultor do Sebrae-SP. Segundo ele, a Ana Paula foi esperta em abrir sua empresa numa área que ela já conhecia. “Ela tinha domínio do negócio. E todo negócio, sem exceção, tem algum macete que você precisa conhecer”, diz o especialista.
Saiba como começar
Veja a lista de produtos e preços atualizados para abrir o negócio:
• 1 xampu para sofá: R$ 90
• 1 antibactericida: R$ 70
• 20 panos: R$ 70
• 2 escovas: R$ 9
• Extensão (25 m): R$ 350
• Anúncio: R$ 300
• Cartão de visita (1.000 unidades): R$ 45
• 2 camisetas com o logo da empresa: R$ 60
• 1 lavadora extratora: R$ 1.800 (Se você parcelar no cartão como a Ana Paula, pode pagar depois de começar a lucrar!)
Contato
Telefone : (11) 4171-1991
E-mail: contato@naturezaelimpeza.com.br
Natureza e Limpeza nas Redes Sociais